Você está aqui: Página Inicial > Noticias20222023 > Saiba mais sobre o Mestrado Profissional em Ensino de História (ProfHistória) da Unespar, avaliado com nota 5 pela CAPES

Saiba mais sobre o Mestrado Profissional em Ensino de História (ProfHistória) da Unespar, avaliado com nota 5 pela CAPES

Pesquisa

por Milleni Bezerra Moreira publicado: 07/10/2022 16h51 última modificação: 08/10/2022 00h53

Em resultado de Avaliação Quadrienal dos cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu, que compreende o período de 2017-2020, divulgado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), no mês de setembro, os programas de pós-graduação da Universidade Estadual do Paraná (Unespar) ganharam destaque pelo bom desempenho. A avaliação classifica os cursos com as seguintes notas: 3 (razoável), 4 (bom), 5 (muito bom), 6 (excelente, ao nível nacional) e 7 (excelente, ao nível internacional). Dos 11 programas de Pós-Graduação ofertados pela Instituição, 1 deles foi avaliado com nota 5, enquanto outros 3 elevaram o conceito de 3 para 4, com a seguinte classificação: Mestrado Profissional em Ensino de História (ProfHistória) com nota 5; Mestrado em Ensino Formação Docente Interdisciplinar (PPIFOR), Mestrado Interdisciplinar Sociedade e Desenvolvimento (PPGSeD) e Mestrado Profissional em Filosofia (PRO-FILO) com nota 4.

O primeiro colocado da Instituição, Mestrado Profissional em Ensino de História (ProfHistória) é um curso com oferta simultânea em rede nacional, que conta com a coordenação nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), juntamente com 39 Instituições Associadas por todo o país. Em 2015, pela qualificação de corpo docente, dissertações, entre outras características, a Universidade Estadual do Paraná (Unespar) integrou o programa, iniciando a primeira turma em 2016. Em todo o estado do Paraná, apenas 4 instituições foram associadas: UNESPAR, UFPR, UEPG e UEM. Cada uma delas dispõe de grade própria de horários para a realização das atividades referentes ao curso.

O trabalho desenvolvido até então, visa à formação continuada do docente em História, que já possua atuação comprovada na Educação Básica (ensino fundamental e médio), e propicia qualificação certificada para o exercício da profissão, dirigindo-se à duas demandas complementares: “à exigência de reflexão sobre o ensino escolar, considerando seus saberes e práticas, bem como a relação com a disciplina de referência”; e  “à necessidade de compreensão das múltiplas formas de ensinar e aprender história vigentes na sociedade contemporânea, para além da escola, que tensionam continuamente tanto à historiografia profissional como o ensino da disciplina em seus diferentes níveis”. Atualmente, o programa possui o corpo docente composto por 11 doutores nas áreas de História e Educação, que atuam nas seguintes linhas de pesquisa: 1) Saberes históricos no espaço escolar; 2) Linguagens e Narrativas históricas: produção e difusão; 3) Saberes históricos em diferentes espaços de memórias.

Importante destacar que não se trata de um curso com enfoque apenas teórico, visto que há intensidade no desenvolvimento de atividades práticas, uma vez que o programa visa contribuir para a formação de docentes que já atuem em rede de ensino. Nesse sentido, o Coordenador local do Profhistória, Prof. Dr. Bruno Flávio Lontra Fagundes, cita o exemplo da disciplina “Patrimônio cultural e ensino de História”, em que, atualmente, vem sendo implementada uma atividade prática como trabalho final, que consiste em uma rememoração do patrimônio pessoal, viabilizada no espaço digital, pela abertura de grupo em uma mídia social específica, para compartilhar de forma coletiva as narrativas de estudantes, a partir da apreciação e análise de imagem de objetos publicados, como uma espécie de laboratório de experimentação.

Em termos de estrutura administrativa, para alinhamento de perspectivas coletivas, semestralmente, são realizadas reuniões com a coordenação nacional, para debate de ideias e projetos em andamento. Nesse caminho, com o objetivo de promover debates entre docentes e discentes de todo o Brasil, que atuem no programa, para discussão e problematização  das pesquisas desenvolvidas no âmbito do curso, a partir de suas abordagens teórico-metodológicas, realizou-se o II Congresso Nacional do Profhistória, com o tema “A Pesquisa em Ensino de História e a Formação de Professores”, entre os dias 04 e 07 de outubro, na Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) – campus Maracanã. Para participação no evento, 6 docentes e 5 alunos do Campus de Campo Mourão estiveram no Rio de Janeiro (RJ).

Vale ressaltar que o curso da Unespar classificou-se em 3º lugar no Prêmio Nacional de Melhor Dissertação da rede ProfHistória. O resultado foi publicado no dia 19 de julho de 2022, pela Comissão Acadêmica Nacional do curso. Nesta quarta edição do Prêmio, a Instituição foi representada pela dissertação “Aprender História com a metodologia WebQuest: uma proposta de material didático-pedagógico sobre Villa Rica Del Espiritu Santo-PR”, de autoria de Marcela da Silva Soares, orientada pelo Prof. Dr. Fábio André Hahn, atual coordenador do Programa de Pós-Graduação em História Pública (PPGHP). Marcela, assim como todos os candidatos do concurso, foi aluna da turma 2019. Na segunda edição do mesmo, o egresso Eder Dias do Nascimento, da turma 2016, recebeu Menção Honrosa com o trabalho “A metodologia WebQuest na aula de História”, também orientado pelo professor Fábio. E em 2021, o trabalho final do egresso da turma 2018, Giovani Marcos Bernini, “Lugares de Memórias na Rede: educação patrimonial, espaços públicos e linguagens digitais para o ensino de história”, orientado pelo professor Jorge Pagliarini Junior, foi laureado como a Melhor Dissertação de Mestrado Profissional do Paraná, em concurso realizado pela Associação Nacional de História/Seção Paraná (Anpuh-PR).

Segundo os apontamentos do Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG), Prof. Dr. Carlos Alexandre Molena Fernandes, "os programas de pós-graduação stricto sensu da UNESPAR obtiveram um excelente resultado na avaliação quadrienal (2017-2020) feita pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). O professor Molena destaca que o êxito é fruto do trabalho de coordenadores, docentes, equipes das secretarias acadêmicas e discentes, com o apoio das direções de campi, direções de centro da gestão superior da universidade, apesar de o cenário de dificuldades no financiamento da ciência e da pós-graduação. Ainda antecipa que, "para os próximos anos, a PRPPG pretende consolidar as ações afirmativas voltadas ao acesso e permanência e a Política de Apoio ao Estudante; intensificar a internacionalização dos programas e a oferta de turmas integrada entre programas de diferentes unidades da UNESPAR, bem como as parcerias interinstitucionais para a redução das desigualdades na formação; expandir a disponibilidade de disciplinas transversais sobre temas estratégicos; e promover ações que visem assegurar a abrangência e qualidade da formação e da produção acadêmica dos programas".

Importante frisar que o Programa está com inscrições abertas, até o dia 10 de outubro, para ingresso na turma de 2023. Podem participar do Exame Nacional de Acesso candidatos/as que atendam aos seguintes pré-requisitos:

a) ser portador de diploma de curso superior de licenciatura, devidamente registrado no Ministério da Educação;
b) atuar como professor de História da rede pública em qualquer ano da Educação Básica;
c) Não havendo candidatos selecionados a que se refere o item b, as vagas remanescentes, em cada Instituição Associada, poderão ser atribuídas aos demais candidatos aprovados e atuantes como professores de História da Educação Básica em um quantitativo não superior a 20% daquele constituído pelos professores da rede pública matriculados no certame na instituição associada.

Outras informações podem ser acessadas no link abaixo, ou/e no endereço eletrônico: profhistoria@unespar.edu.br.

PÁGINA PROF-HISTÓRIA (CLIQUE AQUI)

 

Texto: Milleni Bezerra Moreira - Assessoria de Comunicação, campus de Campo Mourão (comunicacao.campomourao@unespar.edu.br).