Você está aqui: Página Inicial > Noticias Periodo Eleitoral > Pesquisador da Unespar realiza visita técnica na Argentina; saiba mais

Pesquisador da Unespar realiza visita técnica na Argentina; saiba mais

Pesquisa

Recentemente, três docentes pesquisadores da Universidade Estadual do Paraná (Unespar), campus de Campo Mourão realizaram visitas técnicas ao exterior: dois deles na América do Sul, nos países Argentina e Chile; e um deles à Europa, na Itália.

Os professores realizaram suas visitas técnicas apoiados pelo auxílio financeiro viabilizado pela Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PRPPG) e o Escritório de Relações Internacionais (ERI), a partir da publicação do Edital nº 001/2022, e a divulgação do resultado final por intermédio do Edital nº 004/2022, em meados de agosto do ano vigente. A ação foi promovida com o intuito de fortalecer o processo de internacionalização da Unespar, incentivando e promovendo melhores condições para que esses docentes pudessem realizar suas atividades de pesquisas fora do Brasil.

Vale ressaltar que, Visitas Técnicas são "viagens realizadas com o objetivo de estreitar laços com instituições, docentes e discentes estrangeiros para fins de conhecimento de práticas, processos, ações, trâmites, estruturas, pesquisas, entre outras atividades que possam ser de interesse comum entre os(as) docentes e as instituições envolvidas".

Os recursos disponibilizados para a ação somaram o valor de R$50.000,00, provenientes da própria Instituição, sendo que cada docente dispôs de apoio com o teto máximo de R$10.000,00. O processo foi mediado pela a Central de Viagens da Pró-Reitoria de Administração e Finanças (PRAF). Como critério de seleção, além do preenchimento de formulários protocolares, foram observados: um memorando contendo as razões e justificativas; a condição de permanência do docente nos programas de pós-graduação da Unespar; a ausência de pendências com a Unespar e com a PRPPG. O período datado para a realização das visitas foi de 15 de agosto de 2022 à 31 de dezembro de 2022 (ou enquanto durasse o recurso em questão).

ACESSE O EDITAL 001/2022 (CLIQUE AQUI)

ACESSE O EDITAL 004/2002 (CLIQUE AQUI)

Segundo as considerações do Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da Unespar, Dr. Carlos Alexandre Molena Fernandes: “ao todo, seis docentes da Unespar foram contemplados no edital que foi viabilizado pela PRPPG, em parceria com o ERI, para fazer visitas técnicas em diferentes instituições, com o objetivo de promover um intercâmbio de experiências e melhorar as práticas na universidade. O edital financiado pela própria Unespar teve como objetivo buscar a inter-relação entre as IES, conforme previsto no PDI. Nesse sentido, esta ação fortalece o processo de internacionalização de nossos cursos de mestrado, uma vez que os resultados dos estudos realizados pelos pesquisadores agregam conhecimento à vida universitária, não só nos campos teórico e prático, mas possibilitam conhecer outros aspectos daquela realidade visitada, o campo socio-econômico-cultural.

 

Michel Kobelinski

O professor Michel Kobelinski, que integra os programas de pós-graduação Mestrado em História Pública (PPGHP) e o Mestrado Profissinal em Ensino de História (ProfHistória) da Unespar, campus de Campo Mourão, e graduação em História da América no campus de União da Vitória, realizou sua visita técnica à Universidade Nacional de Quilmes, em Buenos Aires (Argentina). De descendência polonesa, a partir da temática “Museus, Monumentos e Comunidades: Lugares de Memória Pública”, o docente tem realizado pesquisas com o intuito de disseminar a cultura, juntamente com investigações acerca da História Pública no Brasil.

A pesquisa tem como principal promover estudos sobre museus, monumentos e comunidades como lugares de memória pública, abrangendo três temáticas distintas, as quais envolvem a coleta de depoimentos, armazenamento de dados, difusão de informações ao público, produção de conhecimento e de curtas-metragens: a) expressões artísticas, fotográficas e literárias de Herman Schiefelbein (1885-1933), Arthur Wischral (1894-1982) e Hugo Hegenberg (1900-1975); b) interações entre comunidade e os lugares de memória Museu Deolindo Mendes Pereira (Campo Mourão) e Museu Etnográfico da Imigração Polonesa (Cruz Machado), bem como os usos deste espaço para atividades de didáticas, culturais e de pesquisa; c) difusão da cultura e da língua polonesa através de iniciativas formativas, informacionais, educativas, cinematográfica e de integração cultural.

No que diz respeito a ida à Argentina, além de participar do Evento da Federação Internacional de História Pública, coordenado por Jimena Perry (Iona University, Estados Unidos), também esteve mediando o acordo de cooperação acadêmica entre Unespar e Universidade Nacional de Quilmes. O plano de trabalho desenvolvido pelo pesquisador compreendeu visita técnica e o desenvolvimento de atividades programadas, as quais objetivavam ampliar a qualificação dos referidos programas nos processos de cooperação científico-cultural e de internacionalização: a) Historia pública en Brasil: perspectivas y desafíos; b) Jornada de actualización: “Historias, Artes y Públicos: Explorando el pasado y el presente” e, c) “Museos Pop Up Art”.

De acordo com o docente, em Buenos Aires, a Dra. Alejandra Fabiana Rodrigues, coordenadora do Programa de História Pública e Divulgação da História (UNQ), o recebeu e providenciou seu deslocamento entre universidade e hotel todos os dias. Ainda, seguindo um roteiro acordado em parceria, os docentes desenvolveram as seguintes atividades:

1) Reunião com as autoridades do Departamento de Ciências Sociais;

2) Diálogos sobre cursos de graduação e pós-graduação em História Pública no Brasil e na Argentina, com a equipe gerencial da graduação, diploma e mestrado em História Pública;

3) Diálogos com estudantes de Didática da História, na UNQ.

4) Visita memorialística ao antigo Centro de Detenção Clandestino Orletti (La Plata);

5) Visita Casa Mariani-Teruggi, um patrimônio histórico e memorialístico aberto às investigações que se focalizam na temática do último período militar argentino;

6) Reunião presencial com os professores do Bacharelado em História e do Mestrado em História Pública, tendo como temática os Pop Ups Museus;

7) Entrevista aberta com o professor Kobelinski, com Mariana Paganini e Marisa Alonso, no estúdio de TV UNQ.

Na ocasião em que esteve no estúdio de TV, Kobelinski ressaltou o sentimento de alegria em poder participar do programa e agradeceu a recepção na UNQ, além de discorrer acerca do acordo entre a Universidade Estadual do Paraná e a Universidade Nacional de Quilmes.  O docente também destacou o papel da História Pública na sociedade: “é uma forma de tornar a história conhecida do público [...] uma maneira de aumentar o interesse pelo passado por meio da colaboração, compartilhamento e engajamento pelo conhecimento do passado e das memórias contraditórias, produzindo uma história colaborativa na qual o passado pode ser pensado à luz da interpretação histórica e dos significados da história, estabelecendo relações dialógicas, inclusivas e democráticas que resultam na produção de livros, documentários, entre os quais a co-autoria e a co-escrita da história pode ocorrer [...] é uma história produzida dentro e fora da universidade, com diversos tipos de público, com diversas comunidades e coletivos. Junto com sua definição, é importante fazer como Hilda Kean, para dizer onde a história pública pode ser encontrada... ou seja, na pintura, fotografia, escultura, monumentos, teatro, dança, música”.

Além desses apontamentos, quando questionado sobre quem faz história pública o docente reforça: “hoje, com o avanço da tecnologia, o acesso aos documentos digitais exige novas posturas e procedimentos [...] em teoria, todos podem fazer história [...] portanto, a questão também pode ser: A quem pertence a história? Se pudermos fazer, isto significa que os historiadores têm novos papéis – o principal deles é a mediação, o diálogo e a produção de conhecimento sobre o passado com diferentes tipos de públicos, em espaços públicos e privados, e até mesmo na academia e nas escolas.

Após atividades desenvolvidas pelo professor Michel Kobelinski na UNQ, em outubro do ano vigente, a Unespar, campus de Campo Mourão recebeu a visita da Dra. Alejandra Fabiana Rodrigues, que esteve no Brasil e conheceu as instalações da Instituição, além de ministrar palestras aos docentes e discentes pesquisadores do PPGHP. Na ocasião, a professora ainda realizou uma visita ao Museu Paleontológico de Cruzeiro do Oeste, e participou do encerramento das atividades comemorativas aos 50 anos do Campus de Campo Mourão, no Teatro Municipal, com concerto da Big Belas Band, da Unespar, campus Curitiba I - Embap, juntamente com o Dr. Michel Kobelinski.

Na fala ministrada aos docentes do Programa, Alejandra discorreu acerca de possíveis semelhanças e diferenças na grade curricular de ambas as Universidades, além de evidenciar os processos de formação acadêmica em Quilmes, e expor fatos do contexto educacional argentino, discorrendo sobre pontos fortes e possíveis fragilidades. Na disciplina Cinema e História Pública ministrada aos pós-graduandos, discorreu acerca de problemas de representação dos povos nativos na tela, Alejandra refletiu sobre as formas como a história se torna pública, abrangendo audiências latino-americanas desde o século XIX. "Para o historiador, a narrativa cinematográfica é uma oportunidade para promover o debate público e repensar o lugar das representações audiovisuais, a circulação de certas ideias e usos iconográficos que lidam com o passado de populações massacradas e invisibilizadas", aponta Alejandra.

 

Propostas estabelecidas para os Programas em História Pública/Propuestas de Programas de Postgrado en Historia Pública (UNESPAR-UNQ)

1. Visitas técnicas e minicursos ministrados pelos professores dos programas (virtuais ou presenciais);

2. Bolsa de pesquisa de 2 meses;

3. Intercâmbio estudantil;

4. Estimular atos organizados pelos alunos dos programas;

5. Incentivar alunos de graduação a ingressarem no programa de mestrado da Unespar (possibilidade de obtenção de bolsa); Ou ainda participação em assuntos isolados;

6. Elaboração de um Projeto de Pesquisa inter e transdisciplinar entre as instituições; Plaza de Mayo - Arquivo Público Emocional - Mortos por Covid-19;

7. Michel Kobelinski - Possibilidade de licença sabática para estudar/actuar na UNQ – 3/6 meses;

8. Produção bibliográfica conjunta do projeto comum;

9. Convites para organização de mesas redondas para o I Congresso Internacional de História Pública;

10. Participação em comissões de qualificação e defesa de tese no Programa de Pós-Graduação; Neste caso, você deve ter doutorado;

11. Coorientação em projetos de investigação;

12. Open Peer Review - Revisão Aberta de Projetos de Pesquisa do Programa de Pós-Graduação, Produção Técnica, com DOI;

13. Participação comentada na edição brasileira do Public History Weekly;

14. Participação no curso de pós-graduação Latu sensu, Licenciatura em História, em setembro, de forma online. História pública, diversidade e direitos humanos (Michel Kobelinski e Marta Rovai);

15. Evento online e presencial: Museu pop up: o tema são animais de estimação.

_____________________________________________________________________________________________________________________________

1. Visitas técnicas y cursos cortos impartidos por profesores de los programas (virtual o presencial);

2. Beca de investigación de 2 meses;

3. Intercambio de estudiantes (consulte los recursos institucionales en Brasil);

4. Actos estimulantes organizados por los alumnos de los programas;

5. Animar a los estudiantes de grado a incorporarse al programa de máster de Unespar (posibilidad de obtener una beca); O incluso la participación en materias aisladas;

6. Elaboración de un Proyecto de Investigación inter y transdisciplinar entre las instituciones; Plaza de Mayo - Archivo Público Emocional - Muerto por Covid-19;

7. Michel Kobelinski - Posibilidad de permiso sabático para estudiar/actuar en la UNQ – 3/6 meses;

8. Producción bibliográfica conjunta del proyecto común;

9. Invitaciones para la organización de mesas redondas para el I Congreso Internacional de Historia Pública;

10. Participación en las comisiones de calificación y defensa de tesis en el Programa de Postgrado; En esste caso, hay que tener un título de doctorado;

11. Coorientación en los proyectos de investigación;

12. Revisión Abierta de Proyectos de Investigación del Programa de Posgrado, Producción Técnica, con DOI;

13. Participación con comentarios en la edición brasileña de Public History Weekly;

14. Participación en el curso de postgrado - Latu sensu, Licenciatura en Historia - Septiembre online. Historia pública, diversidad y derechos humanos (Michel Kobelinski y Marta Rovai);

15. Evento online y presencial: Museo pop up: el tema son las mascotas.

 

Sobre o pesquisador

Tem doutorado em História pela Universidade Estadual Paulista (UNESP, 2008), pós-doutorado em História pela Universidade Federal do Paraná (UFPR, 2014-15) e o curso de documentarista pela Academia Internacional de Cinema. Realizou pesquisa participante (Antropologia) e constituiu coleção de objetos antropológicos (Museologia) para o Museu Regional do Iguaçu (Companhia Paranaense de Energia Elétrica-COPEL, Reserva do Iguaçu-PR). Docente permanente do Mestrado em História Pública (UNESPAR) e do Mestrado Profissional em Ensino de História (UNESPAR/UFRJ), campus de Campo Mourão; é Professor de História da América (UNESPAR, campus de União da Vitória) e coordena o Grupo de Pesquisa História Pública. Atua como Editor da revista Public History Weekly (Brazil). Suas pesquisas têm como foco História e Literatura, patrimônio, museus, comunidades e lugares de memória. 


Publicações envolvendo a cultura polonesa e a difusão de conhecimento em história publica

1. KOBELINSKI, M.; BARNET, H. S. . Uma série sobre expressões idiomáticas em polonês?. Boletim Tak, Curitiba, p. 25 - 26, 17 dez. 2021.

2. KOBELINSKI, M.; HART, I. F. ; STELNIK, J. A. . Entrevista (Iris Foranna Hart). Boletim Tak, Curitiba, p. 6 - 7, 06 ago. 2021.

3. KOBELINSKI, M.; LENCHISCKI, L. L. . Raphael Lemkin e a definição do termo genocídio. Boletim Tak Número 18 - maio/jun 21, Curitiba, , v. 3, p. Maio-jun - 10-12, 19 maio 2021.

4. KOBELINSKI, M.. Józef Stańczewski: educador, poeta e ativista. Boletim Tak 17, Curitiba, p. 13 - 15, 01 dez. 2020.

5. KOBELINSKI, M.. Władysław Stanisław Reymont (1867-1925): notas (auto)biográficas. Boletim Tak, Curitiba, p. 18 - 20, 01 ago. 2020.

6. KOBELINSKI, M.. Yes, we have it. An MA in Public History at Unespar. BRIDGING. THE IFPH-FIHP BLOG, 10 jan. 2019.

 

Links úteis para conhecer mais sobre o trabalho docente: